O cérebro energético

O cérebro produz bilhões de minúsculos pulsos eletroquímicos cada segundo que formam trilhões de redes, criando assim o mais adaptável e poderoso sistema de energia do universo. Atualmente é possível medir quanta energia está sendo produzida, onde e quando é produzida, de que forma as áreas do cerebro podem trabalhar independente e qual a eficácia, e como podem trabalhar em conjunto, quanto há de flexíbilidade e estabilidade em seus padrões.

Dentre as principais descobertas sobre o cérebro está a de que todos os complexos sistemas caóticos tendem a manter padrões estáveis durante longos períodos de tempo. Nos últimos 20 anos, os pesquisadores têm mostrado que estes padrões de ativação estável tendem a se relacionar com a forma de como vemos o mundo, como agimos nele, o que sentimos, pensamos e aprendemos. Além do mais, como em muitas partes do corpo, nós temos o poder de mudar os padrões de funcionamento. Assim como o exercício aeróbio pode alterar a capacidade do nosso sistema cardio-pulmonar para sustentar níveis mais elevados de energia, então o treinamento cerebral pode alterar os recursos do nosso cérebro. E alterar o nosso cérebro altera nosso pensar, sentir, agir e realizar.

Finalmente, embora o cérebro use substancias químicas para transmitir informações, adicionar essas substancias artificialmente (medicamentos) não costuma produzir mudanças duradouras. Ao longo do tempo, o cérebro ajusta-se a eles. No entanto o treinamento para mudar o sistema de energia, mudando a química naturalmente, e com efeitos duradouros.

Previa Home Page Proxima